Entidade de Londrina é responsável por 1,7 mil empresas de TI da região

Nove municípios da região de Londrina têm 1,7 mil empresas de Tecnologia da Informação (TI). O número expressivo foi levado em conta pela Prefeitura de Londrina para a formulação da nova identidade do município. A “cidade genial” quer se tornar um polo nacional de TI e explorar ativos já existentes, mas, até então, desconhecidos pelo poder público e sociedade civil organizada.

“Londrina recebeu grandes multinacionais de TI nos últimos anos. A cidade tem oito universidades com cursos voltados para o setor tecnológico e também a Sercomtel, telefonia pública aberta a novidades e que conta com a fibra óptica da Copel. Os ativos são variados e precisam ser utilizados em novos projetos”, destacou a diretora de Ciência e Tecnologia do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Andrea Mandelli.

A nova identidade da cidade também recebe apoio da Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil).

As 1,7 mil empresas de TI estão instaladas em Londrina, Cambé, Ibiporã, Rolândia, Apucarana, Arapongas, Uraí, Jataizinho e Cornélio Procópio. Todas têm cadastro no Arranjo Produtivo Local (APL) de TI de Londrina e região. A entidade serve como ‘portfólio’ para a atração de novos investimentos e o firmamento de parcerias e convênios.

A prefeitura também pretende enviar um projeto de lei à Câmara de Vereadores para regulamentar a parceria entre o poder público e as empresas da cidade. “A iniciativa pretende incentivar a aliança entre município, empresas e instituições de ensino. Fazer com que as partes fechem alianças e que essas alianças gerem novos negócios e investimentos”, explicou Andrea.

A diretora adiantou que a iniciativa não tem a intenção de atrair novas empresas para o município. “As companhias nós já temos, mas precisamos de novas parcerias”.

Outro dado significativo revelado por Andrea coloca Londrina como uma das cidades do país que mais emite certificação digital. “O município é responsável por 50% de todos os certificados emitidos no Paraná. Se Londrina fosse um estado, ela seria o quinto do país em criação de novos softwares”, listou.

Fonte: Guilherme Batista (www.bonde.com.br)

 

Deixe uma resposta